sábado, 9 de outubro de 2010

Análise Literária.

Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus lindos lábios – Marçal Aquino
Pág. 232

Sinopse: No momento em que narra os fatos, o fotógrafo Cauby está convalescendo de um trauma numa pensão barata. Sua voz é impregnada da experiência de quem aprendeu todas as regras de sobrevivência no submundo. O motivo de sua descida ao inferno é Lavínia, a misteriosa e sedutora mulher de Ernani, um pastor evangélico.
A trajetória do fotógrafo vai sendo explicada por meio de pistas: a história de Chang, morto num escândalo de pedofilia; o mistério de Viktor Laurence, jornalista local que prepara uma vingança silenciosa; a vida de Ernani, que no passado tirou Lavínia das ruas e das drogas. Mesmo diante de todos os riscos, Cauby decide cumprir seu destino com o fatalismo dos personagens trágicos. "Nunca acreditei no diabo", diz ele, "apenas em pessoas seduzidas pelo mal."

 Outro dia li no blog Libru Lumen uma crítica sobre esse livro que é exatamente da forma que penso, lá vai:
"Eu Receberia As Piores Noticias dos Seus Lindos Lábios é um romance, mas é também uma crítica à polícia, religião e sociedade, e uma teoria sobre os males do amor, e uma grande crônica juntando tudo o acima. O livro traz histórias ordinárias, comuns - que vemos acontecer por aí todos os dias - mas com alguns desfechos carregados na tragédia - também vistos vez por outra. Aí é que está a grande arte de Aquino: ele conquista vários tipos de leitor que, com alguma das facetas do livro ou com alguma das situações vividas pelos personagens, se identificam na estória. Uma identificação sutil, todavia imediata e intensa." (...)
Clique aqui para continuar lendo.
Acho que não preciso dizer mais nada, a crítica acima já diz por mim. Adoro o livro e recomendo!


Nota: 8,0


Drácula – Bram Stoker
Pág. 328


Sinopse: Conde Drácula é o mais famoso vampiro de todos os tempos. Escrito na forma de romance epistolar (anotações em diários) e publicado em 1879. Drácula definiu o arquétipo do vampiro como o ser diabólico que se alimenta do sangue de suas vítimas e tem poderes extraordinários.

Nessa onda desenfreada de retorno dos vampiros a literatura, resolvi ler o pioneiro. O Primeiro livro que falou sobre isso. Drácula do Bram Stoker.
É uma história pra lá de conhecida. O começo se passa na Transilvânia (Onde mais?) e conta os acontecimentos que levam o maldoso Conde Drácula para a Inglaterra: Ele tem planos de dominar o lugar.
É aí que aparece o Van Helsing (Pois é, aquele do filme com o Hugh Jackman!) e que lidera um grupo que sabe da existência do Drácula e tentam impedi-lo de matar mais vítimas e cometer atrocidades com a população
É bem dinâmico, e a forma que é escrito faz com que a leitura fique envolvente.
Eu gosto de ler livros clássicos, achei esse infinitamente mais interessante do que qualquer outro sobre vampiros que já havia lido (Noturno e Crepúsculo).
Todas as convicções e as histórias que conhecemos sobre Vampiros e Drácula vieram dali:
Como, por exemplo, o fato que  vampiros não gostam de alho, ou de água benta e crucifixos. Ou o Drácula virar morcego durante a noite. Tudo foi tirado desse livro. Ele foi revolucionário para a época, tanto que baseado nele existem inúmeros filmes. Isso sem contar em todo o conhecimento popular.
Definitivamente é um livro aclamado

Nota: 9,0


A Marca de Uma Lágrima – Pedro Bandeira
Pág. 176

Sinopse: A vida de Isabel anda muito confusa: seu grande amor está namorando sua melhor amiga. E para completar a situação, a diretora da sua escola é assassinada, e ela é a única testemunha. Será que Isabel conseguirá acalmar seu coração e seu medo?

Eu li este livro quando estava na casa da minha avó. Minha priminha, Beatriz, tinha esquecido lá.
Senti uma saudade da época em que minha mãe lia para mim os livros do Pedro Bandeira antes de dormir, e eu delirava, ficava curiosa querendo saber o que ia acontecer depois. Não resisti a lembrança e deixei A Marca de Uma Lágrima me fazer reviver aqueles momentos nostálgicos
Mesmo sendo uma literatura infantil é bem agradável. Sem contar que é super rápido, já que cada página tem letra Arial tamanho 22 (Hahahah)
Acho que a forma do Pedro Bandeira escrever é tão inocente e verdadeira que dá pra sentir o amor de Isabel e as tristezas dela. Ele também mistura poemas com o texto, e isso fez o meu pensamento voar longe.
Vale a pena dar de presente praquela afilhada ou vizinha no dia das crianças. Se ela tiver menos de 14 anos, com certeza vai adorar.

Nota: --


Wake – Despertar – Lisa Mcmann
Pág. 208

Sinopse: Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal.
Janie não pode contar a ninguém sobre o que acontece com ela - eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar.
Mas, de repente, Janie acaba presa dentro de um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela deixa de ser expectadora e se torna uma participante...

Em meio a todos esses livros pós-Twilight que resolveram aproveitar o sucesso e abortar o amor sobrenatural entre um personagem normal (Normalmente a garota) e um cara com algum poder especial que não morre e vai fazer de tudo para sempre proteger a amada (Ex. Os Imortais da Alyson Nobel, Coleção The House Of Night do P.C. Cast, Sussuro, entre outros) esse livro foi o único que deu vontade de ler até o fim.
Não pense que a história tem alguma coisa diferente disso aí que eu disse em cima, porque não tem. Mas tem uma mudança: é um tema que eu nunca tinha ouvido falar antes. Não que fuja da classificação "Dons sobrenaturais estranhos", mas pelo menos já é alguma coisa. Sem contar que, pelo menos no começo, o apelo romântico não é o ponto forte da história (Acredite, isso sim é surpreendente!)
É um livro rápido, assim não temos que ficar tendo a impressão de deja-vu literário enquanto lemos.

Nota: 6,75


A menina que roubava livros – Markus Zusak
Pág. 494

 Sinopse: Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história.

A Menina Que Roubava Livros conta a história de Liesel, uma menina que após ver a morte do irmão é abandonada pela mãe, que a deixa aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann. A partir disso, começam as aventuras da menina.
Liesel é tão carismática que prende o leitor desde a primeira página. Mesmo com as dificuldades e perdas, ela aprende a lidar com a dor através da música de Hans Hubermann; do carinho por Max Vanderburg, o judeu escondido em seu porão; do amor escondido por Rudy Steiner, seu vizinho e melhor amigo; e claro, por seus livros roubados.
Só quem leu sabe o quão bom o livro é!
A forma como existe um envolvimento entre o leitor e a história é incrível.
Markus Zusak tem uma sensibilidade que impressiona.
Fiquei tão envolvida com a história que no fim chorei o equivalente a um mês (sério). Hahahah.
A Menina Que Roubava Livros é fantástico. Recomendo a todos!

Nota: DEZ!

Camila Lemos

2 comentários:

  1. Camilinhaaa,

    Adorei o primeiro livro.. Me atraiu bastanteee!!!
    Parabéns, vc está com ótimas dicas!!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Paola.
    O q mais me cativou foi o título "Eu Receberia As Piores Noticias dos Seus Lindos Lábios" longo, mas perfeito!
    Sempre disse q não leria "A Menina Que Roubava Livros", mas vc me deixou com vontade agora... ai ai a filinha da minha estante...
    ;) bjs***

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...