segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Fade – Lisa Mcmann

Fade – Lisa Mcmann.
Pág. 239
Sinopse: Para Janie e Cabel a vida real está se tornando mais difícil do que os sonhos. Eles estão tentando (em segredo) passar um tempo juntos, mas ainda não tiveram esta sorte.
Coisas perturbadoras estão acontecendo em Fieldridge High, mas ninguém quer falar a respeito. Quando Janie penetra os pesadelos violentos de um colega de classe, o caso finalmente se torna claro, mas nada sai como o planejado.
A cabeça confusa de Janie e o comportamento chocante de Cabe têm graves conseqüências para ambos.
Pior, Janie descobre a verdade sobre si mesma e sua habilidade. E é desolador. Não só o seu destino está selado, como o que está por vir é muito mais sombrio do que seu pior pesadelo...

Eu não ia fazer uma resenha sobre esse livro, mas não resisti, tive que vir aqui e contar que o que achei de Fade.
Tenho que admitir que o segundo livro da trilogia despertar me surpreendeu!
Wake, o primeiro livro conta a história de Janie, uma garota de 17 anos que é sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas. Já nesse segundo volume, Janie descobre mais sobre o seu "dom". Além de ajudar a solucionar um grande caso em Fieldridge High, Janie tem que lidar com seus próprios problemas, que estão se tornando cada vez maiores.
Achei Fade muito melhor e superior ao primeiro livro.
Uma história sequencial emocionante. Uma mistura de vários elementos que fazem um bom livro: uma história consistente, um desenrolar inesperado para a personagem principal, uma dose de romance, e um suspense que deixa o leitor tenso em algumas partes.
Fade tem uma narrativa rápida e me prendeu até o fim, sem contar que o conflito final de Janie me deixou inquieta.
Para ser sincera, fiquei com um pouco de raiva da Lisa Mcmann por fazer a Janie percorrer caminhos tristes e inseguros em seu futuro, mas com certeza estarei esperando ansiosamente por Gone, o terceiro e ultimo livro da saga (ele tem que ser muito bom para superar Fade), para dar explicações razoáveis sobre o futuro de Janie e Cabel. Que são lindos, por sinal.

Nota: 8,5

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Pão-de-Mel – Rachel Cohn

Pão-de-Mel – Rachel Cohn
Pág. 220

Sinopse: Depois de ser expulsa do colégio interno, a selvagem, obstinada e viciada em café Cyd Charisse volta a São Francisco para viver com a mãe e o padrasto. Mas para ela, não há como sobreviver nesse lar imaculado: Cyd quer ser livre, e não se importa em quebrar as regras. Mas quando sua rebeldia sai do controle, seus pais a despacham para Nova York para passar o verão com seu pai biológico, Frank. O que ela não esperava era que o verão na cidade não corresse como ela planejara – e Cyd está longe de ser o que a nova família imaginava.

Eu simplesmente não consegui parar de ler esse livro.
A vontade que eu tinha de continuar lendo se misturava com o sentimento de não querer que o livro acabasse!
Fiquei um pouco triste quando vi que faltavam poucas páginas para terminar. Fechei o livro e tentei pensar em outra coisa.
Não preciso dizer que isso durou pouco, não é? Não resisti e voltei a ler o mais devagar que podia (Assim, quem sabe durasse mais).
Queria saber o que iria acontecer com Cyd Charisse, uma garota rebelde, com problemas familiares e pessoais, que se sente rejeitada e carrega grandes dores, mas mesmo assim é uma jovem vibrante, divertida e que não se cansa de imaginar dias melhores.
Adorei o livro, achei super simpático e com uma escrita fácil e envolvente.
Rachel Cohn conseguiu passar um universo bem real. Sei que várias garotas vão se identificar com alguma ou outra situação pela qual Cyd passa: seja pelas discussões familiares ou a dor de terminar um relacionamento.
O único problema de Pão-de-Mel, é que ele me deixou maluca para ler a continuação, Siri.
Aposto que todos também vão querer saber o que acontece depois que o livro acaba.
É uma leitura deliciosa e nem um pouco cansativa. Eu fiquei totalmente seduzida pela história, Pão-de-Mel é cativante e merece ser lido.

Nota. 8,75

Dica do Dia: Skoob

Gostaria de falar sobre o meu novo vício: Skoob.
É um site igual ao Filmow. É uma espécie de Orkut de livros.
Você pode colocar os seus livros lidos, selecionar os favoritos, metas de leitura, colocar notas e na página de cada livro tem até "livros relacionados"...
Estou simplesmente encantada! Já tinha feito há um tempo, mas foi só nesses dias que comecei a usar de verdade.
Eu adoro ver os livros preferidos das pessoas, aquilo que estão lendo e a nota que deram para cada livro. Depois disso, minha lista de livros para ler está gigantesca!
Tem também várias comunidades em que as pessoas fazem indicações de livros... É bem legal!
Então essa é a minha dica do dia: Vocês, que adoram livros, façam um Skoob! (Isso é, quem ainda não tem. – Eu sempre sou atrasada nessas coisas tecnológicas super legais.)
Se você quiser fuçar para ver como que é, clique aqui para ver a minha página. :]

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Top 10 Filmes Preferidos.

Estou sem vontade de escrever críticas literárias, então resolvi colocar para vocês os meus dez filmes preferidos!
Afinal, todo mundo gosta de assistir filmes, certo?
Não tive muito tempo para pensar (é bem difícil escolher só 10 filmes), mas lá vai a minha lista:

10. O Fabuloso destino de Amelie Poulain
Duração: 78 minutos
Gênero: Comédia, Drama, Romance
Direção: Jean-Pierre Jeunet
Sinopse: Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie (Audrey Tautou) muda-se para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo.


9. Um Sonho Possível
Duração: 128 minutos
Gênero: Drama
Direção: John Lee Hancock
Sinopse: Protagonizado por Sandra Bullock, que viverá Leigh Anne, uma mãe de uma família rica que acaba adotando o jovem negro sem-teto Michael Oher e passa a educá-lo e cuidar de suas necessidades, ajudando-o e o encorajando na carreira esportiva de futebol americano.



8. The Wonders – O Sonho não acabou
Duração: 108 minutos
Gênero: Comédia, Drama, Música
Direção: Tom Hanks
Sinopse: Em 1964, surge em uma pequena cidade da Pensilvânia o grupo musical Oneders, mais tarde rebatizado pelo empresário como Wonders. Porém, às vésperas de uma apresentação de calouros, o baterista do grupo quebra o braço, o que faz com que, em cima da hora, um jovem infeliz (Tom Everett Scott) que trabalhava na loja de eletrodomésticos da família seja convidado para substituí-lo.

7. As Branquelas
Duração: 114 minutos
Gênero: Comédia, Policial
Direção: Keenen Ivory Wayans
Sinopse: Os irmãos Marcus e Kevin Copeland são detetives do FBI que estão com problemas no trabalho. Quando um plano para sequestrar as mimadas irmãs Brittany e Tiffany Wilson é descoberto, eles são escalados para escoltar as jovens mimadas do aeroporto até o local de um evento pelo qual elas esperaram por meses. Porém no trajeto um acidente de carro provoca um verdadeiro desastre. É quando,para salvar o emprego, Marcus e Kevin decidem por assumir as identidades das irmãs.


6. Independence Day
Duração: 145 minutos
Gênero: Ação, Ficção Científica , Suspense
Direção: Roland Emmerich
Sinopse: No dia 2 de julho os sistemas de comunicação do mundo inteiro se transformam em um caos, devido à uma estranha interferência atmosférica. Logo se descobre que enormes objetos estão em curso de colisão com a Terra. Inicialmente imagina-se que se tratam de meteoros, mas logo revela-se ser na verdade uma imensa nave espacial pilotada por alienígenas.


 5. Moulin Rouge – Amor em vermelho
Duração: 127 minutos
Gênero: Drama, Musical, Romance
Direção: Baz Luhrmann
Sinopse: Christian é um jovem escritor que possui um dom para a poesia e que enfrenta seu pai para poder se mudar para o bairro boêmio de Montmartre, em Paris. Lá ele recebe o apoio de Henri de Toulouse-Latrec, que o ajuda a participar da vida social e cultural do local, que gira em torno do Moulin Rouge, uma boate que possui um mundo próprio de sexo, drogas, adrenalina e
Can-Can. Ao visitar o local, Christian logo se apaixona por Satine, a mais bela cortesã de Paris e estrela maior do Moulin Rouge.

4. UP – Altas Aventuras
Duração: 87 minutos
Gênero: Animação, Aventura, Comédia, Família
Direção: Bob Peterson, Pete Docter
Sinopse: O rabugento senhor de 78 anos de idade, chamado de Carl Fredricksen, acaba realizando o seu sonho de levantar a casa com balões de gás hélio. Mas, no meio do caminho, ele não contava com a inesperada presença do pequeno escoteiro Russel, que deseja ficar sob os cuidados do pobre velho rabujento e de seu cão, que sobrevoam os céus próximos da Venezuela.


3. Monstros S.A.
Duração: 88 minutos
Gênero: Animação, Comédia, Família, Fantasia
Direção: Pete Docter
Sinopse: Monstros S.A. é a maior fábrica de sustos existente. Localizada em uma dimensão paralela, a fábrica constrói portais que levam os monstros para os quartos das crianças, onde eles poderão lhes dar sustos e gerar a fonte de energia necessária para a sobrevivência da fábrica. Os monstros têm por missão assustar as crianças, que são consideradas tóxicas pelos monstros e cujo contato com eles seria catastrófico para seu mundo. Porém, uma garotinha acaba sem querer indo parar no mundo dos monstros e provoca uma grande confusão.


2. Pequena Miss Sunshine
Duração: 101 minutos
Gênero: Comédia, Drama
Direção: Jonathan Dayton, Valerie Faris
Sinopse: Nenhuma família é verdadeiramente normal, mas a família Hoover extrapola. O pai desenvolveu um método de auto-ajuda que é um fracasso, o filho mais velho fez voto de silêncio, o cunhado é um professor suicida e o avô foi expulso de uma casa de repouso por usar heroína. Nada funciona para o clã, até que a filha caçula, a desajeitada Olive, é convidada para participar de um concurso de beleza para meninas pré-adolescentes. Durante três dias eles deixam todas as suas diferenças de lado e se unem para atravessar o país numa kombi amarela enferrujada.


1. Star Wars
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção Científica
Direção: George Lucas

Gosto MUITO de Star Wars.
É aquele tipo de filme que não importa o lugar ou a hora, se estiver passando, com certeza vou parar para assistir!
Bom, esses são os meus 10 filmes preferidos. Quais são os seus?
Adoraria saber! :)

Camila Lemos.

sábado, 9 de outubro de 2010

Análise Literária.

Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus lindos lábios – Marçal Aquino
Pág. 232

Sinopse: No momento em que narra os fatos, o fotógrafo Cauby está convalescendo de um trauma numa pensão barata. Sua voz é impregnada da experiência de quem aprendeu todas as regras de sobrevivência no submundo. O motivo de sua descida ao inferno é Lavínia, a misteriosa e sedutora mulher de Ernani, um pastor evangélico.
A trajetória do fotógrafo vai sendo explicada por meio de pistas: a história de Chang, morto num escândalo de pedofilia; o mistério de Viktor Laurence, jornalista local que prepara uma vingança silenciosa; a vida de Ernani, que no passado tirou Lavínia das ruas e das drogas. Mesmo diante de todos os riscos, Cauby decide cumprir seu destino com o fatalismo dos personagens trágicos. "Nunca acreditei no diabo", diz ele, "apenas em pessoas seduzidas pelo mal."

 Outro dia li no blog Libru Lumen uma crítica sobre esse livro que é exatamente da forma que penso, lá vai:
"Eu Receberia As Piores Noticias dos Seus Lindos Lábios é um romance, mas é também uma crítica à polícia, religião e sociedade, e uma teoria sobre os males do amor, e uma grande crônica juntando tudo o acima. O livro traz histórias ordinárias, comuns - que vemos acontecer por aí todos os dias - mas com alguns desfechos carregados na tragédia - também vistos vez por outra. Aí é que está a grande arte de Aquino: ele conquista vários tipos de leitor que, com alguma das facetas do livro ou com alguma das situações vividas pelos personagens, se identificam na estória. Uma identificação sutil, todavia imediata e intensa." (...)
Clique aqui para continuar lendo.
Acho que não preciso dizer mais nada, a crítica acima já diz por mim. Adoro o livro e recomendo!


Nota: 8,0


Drácula – Bram Stoker
Pág. 328


Sinopse: Conde Drácula é o mais famoso vampiro de todos os tempos. Escrito na forma de romance epistolar (anotações em diários) e publicado em 1879. Drácula definiu o arquétipo do vampiro como o ser diabólico que se alimenta do sangue de suas vítimas e tem poderes extraordinários.

Nessa onda desenfreada de retorno dos vampiros a literatura, resolvi ler o pioneiro. O Primeiro livro que falou sobre isso. Drácula do Bram Stoker.
É uma história pra lá de conhecida. O começo se passa na Transilvânia (Onde mais?) e conta os acontecimentos que levam o maldoso Conde Drácula para a Inglaterra: Ele tem planos de dominar o lugar.
É aí que aparece o Van Helsing (Pois é, aquele do filme com o Hugh Jackman!) e que lidera um grupo que sabe da existência do Drácula e tentam impedi-lo de matar mais vítimas e cometer atrocidades com a população
É bem dinâmico, e a forma que é escrito faz com que a leitura fique envolvente.
Eu gosto de ler livros clássicos, achei esse infinitamente mais interessante do que qualquer outro sobre vampiros que já havia lido (Noturno e Crepúsculo).
Todas as convicções e as histórias que conhecemos sobre Vampiros e Drácula vieram dali:
Como, por exemplo, o fato que  vampiros não gostam de alho, ou de água benta e crucifixos. Ou o Drácula virar morcego durante a noite. Tudo foi tirado desse livro. Ele foi revolucionário para a época, tanto que baseado nele existem inúmeros filmes. Isso sem contar em todo o conhecimento popular.
Definitivamente é um livro aclamado

Nota: 9,0


A Marca de Uma Lágrima – Pedro Bandeira
Pág. 176

Sinopse: A vida de Isabel anda muito confusa: seu grande amor está namorando sua melhor amiga. E para completar a situação, a diretora da sua escola é assassinada, e ela é a única testemunha. Será que Isabel conseguirá acalmar seu coração e seu medo?

Eu li este livro quando estava na casa da minha avó. Minha priminha, Beatriz, tinha esquecido lá.
Senti uma saudade da época em que minha mãe lia para mim os livros do Pedro Bandeira antes de dormir, e eu delirava, ficava curiosa querendo saber o que ia acontecer depois. Não resisti a lembrança e deixei A Marca de Uma Lágrima me fazer reviver aqueles momentos nostálgicos
Mesmo sendo uma literatura infantil é bem agradável. Sem contar que é super rápido, já que cada página tem letra Arial tamanho 22 (Hahahah)
Acho que a forma do Pedro Bandeira escrever é tão inocente e verdadeira que dá pra sentir o amor de Isabel e as tristezas dela. Ele também mistura poemas com o texto, e isso fez o meu pensamento voar longe.
Vale a pena dar de presente praquela afilhada ou vizinha no dia das crianças. Se ela tiver menos de 14 anos, com certeza vai adorar.

Nota: --


Wake – Despertar – Lisa Mcmann
Pág. 208

Sinopse: Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal.
Janie não pode contar a ninguém sobre o que acontece com ela - eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar.
Mas, de repente, Janie acaba presa dentro de um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela deixa de ser expectadora e se torna uma participante...

Em meio a todos esses livros pós-Twilight que resolveram aproveitar o sucesso e abortar o amor sobrenatural entre um personagem normal (Normalmente a garota) e um cara com algum poder especial que não morre e vai fazer de tudo para sempre proteger a amada (Ex. Os Imortais da Alyson Nobel, Coleção The House Of Night do P.C. Cast, Sussuro, entre outros) esse livro foi o único que deu vontade de ler até o fim.
Não pense que a história tem alguma coisa diferente disso aí que eu disse em cima, porque não tem. Mas tem uma mudança: é um tema que eu nunca tinha ouvido falar antes. Não que fuja da classificação "Dons sobrenaturais estranhos", mas pelo menos já é alguma coisa. Sem contar que, pelo menos no começo, o apelo romântico não é o ponto forte da história (Acredite, isso sim é surpreendente!)
É um livro rápido, assim não temos que ficar tendo a impressão de deja-vu literário enquanto lemos.

Nota: 6,75


A menina que roubava livros – Markus Zusak
Pág. 494

 Sinopse: Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história.

A Menina Que Roubava Livros conta a história de Liesel, uma menina que após ver a morte do irmão é abandonada pela mãe, que a deixa aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann. A partir disso, começam as aventuras da menina.
Liesel é tão carismática que prende o leitor desde a primeira página. Mesmo com as dificuldades e perdas, ela aprende a lidar com a dor através da música de Hans Hubermann; do carinho por Max Vanderburg, o judeu escondido em seu porão; do amor escondido por Rudy Steiner, seu vizinho e melhor amigo; e claro, por seus livros roubados.
Só quem leu sabe o quão bom o livro é!
A forma como existe um envolvimento entre o leitor e a história é incrível.
Markus Zusak tem uma sensibilidade que impressiona.
Fiquei tão envolvida com a história que no fim chorei o equivalente a um mês (sério). Hahahah.
A Menina Que Roubava Livros é fantástico. Recomendo a todos!

Nota: DEZ!

Camila Lemos

sábado, 2 de outubro de 2010

Crítica Literária.

O Morro Dos Ventos Uivantes – Emily Bronte
Pág. 304

Sinopse:  Foi publicado em 1847. Considerado um clássico da literatura inglesa. Uma história de amor amaldiçoado e de vingança. É visto como a mais intensa história de amor já escrita.

Eu, sinceramente, acho esse livro fantástico!
Por diversas vezes enquanto o lia duvidei sobre quem era o 'vilão' e quem era o 'mocinho' da história. Tive dó e chorei pelo Heathcliff em determinadas situações, e em outras tive tanta raiva que cheguei a odiá-lo.
É a história de um amor que passa por todas as fases: platônico, mútuo e impossível. E que no fim, esse amor impraticável se transforma em maldade, dor e sofrimento.
É bom ver a evolução dos personagens conforme os anos vão passando.
Acho que esse é o tipo de livro que brinca com os sentimentos do leitor. É uma leitura cheia de força, que gera tensão. Recomendo a todos!

Nota: 9,0



Noturno – Chuck Hogan e Guilhermo Del Toro
Pág. 464

Sinopse: Um boing 777 chega a JFK ocupando toda a pista. Todas as janelas estão quebradas, luzes apagadas, sem comunicação. Um alerta é enviado para o Dr. Eph Goodweather, chefe de uma equipe que investiga ameaças biológicas. O que ele encontra é de gelar o coração.

Livro um da Trilogia da Escuridão. Antes de ler, muitas críticas diziam sobre a semelhança da narração com um roteiro de filme. Afinal, esse era o projeto inicial do diretor/roteirista Guilhermo Del Toro ao escrever Noturno.
A semelhança a um roteiro é realmente tremenda! Conforme lia, parecia que estava vendo um filme. Conseguia imaginar exatamente como ficaria nas telonas. E isso, é o grande lance do livro, mas também o grande declínio.
Como em qualquer filme, existem altos e baixos na história: Cenas com um misto de aventura e suspense que gera adrenalina no leitor e cenas paradas, que às vezes chegam a ser chatas.
O problema é que, como qualquer filme que foi produzido para ter uma seqüência, o primeiro é muito explicativo. Começa contando a história de cada personagem enquanto alguns acontecimentos paralelos vão sendo criados. (Tente imaginar o primeiro filme do Senhor dos Anéis, até acontecer alguma coisa de legal demora um tempão!)
Mas, existem coisas em particular que eu gostei muito: O livro tem esse desapego a personagens. Você não pode se afeiçoar a nenhum personagem na história, o leitor sabe que eles são frágeis e facilmente acabariam mortos. Essa insegurança dos personagens principais é muito grande, e gera uma tensão tremenda na leitura.
Outro fato que me agradou foi a forma como Guilhermo Del Toro reviveu o vampiro em sua essência. (Sim, a história é sobre vampiros) Uma criatura animal, sem piedade, que assusta, horroriza e mata por prazer. Nada de vampirinhos que se apaixonam e casam.
Um dos fatos que me deixou mais ansiosa para ler o volume dois, com certeza foi o fim. Fiquei espantada e surpresa. Se prepare, se você ler o livro também ficará abalado com o final.

Nota: 7,5



O Dia do Curinga – Jostein Gaarder
Pág. 384

Sinopse: A história de um garoto chamado Hans-Thomas e seu pai, que cruzam a Europa, à procura da mulher que os deixou oito anos antes. No meio da viagem, um livro misterioso desencadeia uma narrativa paralela, em que mitos gregos, maldições de família, náufragos e cartas de baralho que ganham vida transformam a viagem de Hans-Thomas numa autêntica iniciação à busca do conhecimento - ou à filosofia.

Esse é o tipo do livro que significa muito mais do que só aquilo que você está lendo, sabe?
A fantasia e a vida real se misturam na cabeça do Hans-Thomas, chega um ponto em que o leitor não sabe se o que o personagem está lendo é imaginário ou de fato aconteceu.
A forma em que a filosofia é passada é simples e está tão escondida junto a história que o interesse se torna cada vez maior.
Eu nunca tinha lido um livro do Jostein Gaarder (Pois é, nunca li O Mundo de Sofia), achei a forma como ele escreve tão intrigante que não conseguia parar.
Uma aventura maravilhosa, enigmática e super gostosa de ler.

Nota: 7,5


Três Metros Acima do Céu – Federico Moccia
Pág.359

Sinopse: A paixão do mais improvável dos casais, Babi, uma patricinha, e Step, um motoqueiro bad boy.
Entre pegas de moto, festas que varam noites, tatuagens, brigas homéricas, provas desesperadas de afeto e uma tragédia que mudará para sempre suas vidas, Step e Babi vivem uma incrível história de amor, cheia de reviravoltas e sentimentos à flor da pele, aquele tipo de paixão que só pode ser vivida quando se tem dezessete anos e acredita-se que tudo ainda é possível.

 Só uma coisa a dizer sobre esse livro: LINDO!
Ele fala sobre amigos, confusão, pressão dos pais, e o principal, amor.  Que acontece entre duas pessoas totalmente diferentes.
Babi, uma menina rica, certinha e inocente, que vai as festas de seus amigos da alta sociedade, mas a sua única preocupação é tirar notas boas na escola.
Step, um motoqueiro briguento que passa as noites em corridas de moto e arranja confusão por todos os lados.
cena do filme baseado
no livro.
Uma combinação improvável de acontecer.
Mas acontece.
Ambos descobrem o verdadeiro sentido do amor e tentam mudar o seu jeito de ver o mundo.
Muita gente critica a forma de escrita do Federico Moccia, mas para mim ele é perfeito. Três Metros Acima do Céu é uma história de amor envolvente, emocionante, comovente e surpreendente.
Sorri, chorei e me apaixonei por cada parte do livro.
Um dos melhores livros desse gênero que já li!
É muito bom! Vale a pena ser lido e relido.

Nota: 9,5

Camila Lemos.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Minha análise dos livros Percy Jackson do Rick Riordan.

Uma das minhas atividades mais prazerosas é, em um dia de frio como hoje, ler um bom livro. Portanto, a partir de agora vou colocar aqui no Blog algumas Análises sobre livros que li nesse ano. O que acham?

Resolvi colocar em meu primeiro comentário os livros da saga Percy Jackson e os Olimpianos do Rick Riordan. Esses livros viraram uma febre! Todos os lugares em que vou vejo pelo menos uma pessoa lendo. (Sem contar que eles já estão na lista de os mais vendidos da Veja há 26 semanas!)

Minha mãe comprou os três primeiros volumes e me deu de presente. Eu estava indo para praia passar minhas férias de verão, em casos assim, eu levo uma boa quantidade de livros para poder passar o tempo (Acredite, às vezes a praia pode ser muito chata. Principalmente pra quem fica um mês lá.)
Bom, quando comecei a ler o primeiro livro, achei que os acontecimentos eram muito repentinos e pouco explicativos. Passei grande parte do começo sem saber exatamente o que estava acontecendo. Também achei que o Rick Riordan copiou a J. K. Rowling em diversos aspectos. Por exemplo, o trio de personagens principais ou o acampamento meio-sangue ser igual a escola Hogwarts. Mas, conforme o livro vai passando fui ficando envolvida com a narração.
O que ninguém pode negar é que Percy Jackson e os Olimpianos têm muita ação, e junto com a forma fácil de leitura logo ele se torna agradável.

Quando percebi, já tinha lido os três primeiros livros. Mesmo sabendo que eles apresentam algumas falhas graves, como a falta de consistência e ação exagerada em algumas partes, achei a história sedutora, principalmente pela parte da mitologia grega.
Pouco tempo depois, li os dois últimos livros que, em minha opinião, são bem melhores do que os três anteriores.
O fato é que, são livros infanto-juvenis e agem de acordo com essa classificação. Pessoas que já passaram dessa fase de leitura, provavelmente não vão gostar.
O que me resta saber é: Será que eu gostei dos livros só porque estava na praia e sem nada mais interessante pra fazer?

Nota: 6,0

Camila Lemos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...